Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Escrita Criativa

O escritor precisa de caneta e caderno

Kaio Serrate
Escrito por Kaio Serrate em 10 de junho de 2021
O escritor precisa de caneta e caderno
Não perca mais nada

Assine a newsletter "Dedo de Prosa" e receba conteúdos exclusivos

Uma das dúvidas mais frequentes tanto de quem já escreve quanto de quem sonha escrever é: como ter ideias para novas histórias? A folha de papel em branco ou o cursor do editor de texto piscando na tela do computador podem intimidar.

Não há um único caminho, porém dois dos maiores aliados do processo criativo do escritor são caneta e caderno.

Já contei em outro momento que uso o aplicativo Evernote como um repositório de inspiração e referências. Continuo usando. O original deste artigo, inclusive, está sendo redigido no Evernote. Porém, nesses tempos mais recentes de dedicação ao estudo e à produção de conteúdo sobre literatura e escrita criativa redescobri o prazer de escrever à mão. Uma prática, diga-se a verdade, que nunca abandonei por completo, porém ganhou mais espaço na minha rotina ultimamente.

Já preenchi vários cadernos com meus rascunhos e anotações. Já escolhi desde os mais sofisticados, com capa dura e papel de alta qualidade, até cadernos escolares dos modelos mais baratos. Os mais sofisticados induzem a um apreço maior para com as anotações. Os mais baratos dão menos pena de gastar, o que pode ser uma vantagem.

Um escritor não pode se dar ao luxo de confiar na própria memória. É preciso tomar notas, rabiscar, registrar impressões sobre o mundo em tempo real. Registrar as ideias assim que elas surgem contribui para o processo criativo. Sem apego, sem edição, cruas. Pense em fazer o mesmo no computador e descobrirá que um caderno é imbatível para dar vazão ao impulso inicial de registrar inspirações.

Registre tanto as ideias boas quanto as ruins. Encontrar duas ou três ideias boas em meio a dezenas de outras ruins já é um grande feito. O processo fica mais divertido quando envolve anotar, rabiscar, desenhar e reescrever sem compromisso.

Sempre que lhe ocorrer algo, inclua na sua lista de ideias. Seja também um bom consumidor de histórias alheias, anote trechos que lhe chamaram a atenção ou seus comentários sobre o que leu. Certa vez ouvi de alguém que as ideias podem ser vingativas. Por isso, precisamos tratá-las bem. A matéria-prima para futuros textos poderá ser garimpada no seu caderno.

Sentou para escrever e faltou inspiração? Recorra aos tópicos do seu caderninho. Com o tempo, você perceberá quanta inspiração há ao redor.

Uma nota em um caderno é apenas uma nota em um caderno. Não precisa ter lógica ou intenção de virar um texto pronto. É justamente essa a vantagem.

Escrever à mão é totalmente diferente de digitar em um editor de texto, mexe com outros músculos e estimula o cérebro de maneiras diversas. Um editor de texto padroniza e aumenta a produtividade; escrever com letra cursiva é celebrar os aspectos lúdicos e particulares do ato da escrita. Use ambos. Cada um tem seu lugar no processo criativo.

Papel e caneta reduzem à escrita ao essencial.

Experimente reservar algum tempo para escrever à mão. Você pode se surpreender com os resultados.

Conteúdo em vídeo