Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Escrita Criativa

A vocação de George Orwell

Kaio Serrate
Escrito por Kaio Serrate em 6 de setembro de 2021
A vocação de George Orwell
Não perca mais nada

Assine a newsletter "Dedo de Prosa" e receba conteúdos exclusivos

George Orwell, autor de 1984 e A revolução dos bichos, publicou um ensaio no ano de 1946 chamado “Por que escrevo”. Na obra, o autor reflete sobre a própria vocação e sobre o ofício de escrever.

Parar para refletir sobre o próprio processo criativo e compartilhar seus aprendizados é uma tradição, sobretudo entre os escritores de língua inglesa.

Orwell conta no ensaio que escrevia por quatro motivos principais.

Primeiro pelo desejo de parecer inteligente e ver suas ideias comentadas por outras pessoas. Ou seja, por puro egoísmo.

Em segundo lugar pelo que chamou de entusiasmo estético. Orwell sentia prazer em brincar com as frases e palavras.

A terceira razão ele chamou de “impulso histórico”, que era a vontade de compreender as coisas. O autor desejava descobrir a verdade dos fatos e enxergar as coisas como elas são.

Por fim, havia um propósito político. Orwell tinha o desejo de combater o totalitarismo e levar o mundo em uma determinada direção a partir de sua literatura. O autor acreditava que os livros eram capazes de conscientizar as pessoas sobre por qual tipo de sociedade valia a pena lutar.

George Orwell descobriu muito cedo que queria ser escritor, mas viveu outras experiências e tentou trabalhar em outras áreas até os vinte e cinco anos quando, enfim, decidiu direcionar seus esforços a carreira literária.

E você, costuma refletir sobre sua vocação e sobre como desenvolvê-la?

Por que escrevo –  George Orwell – foi o ensaio que inspirou este texto.

Conteúdo em vídeo: