Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Escrita Criativa

A rotina da escrita e do trabalho criativo

Kaio Serrate
Escrito por Kaio Serrate em 14 de abril de 2021
A rotina da escrita e do trabalho criativo
Não perca mais nada

Assine a newsletter "Dedo de Prosa" e receba conteúdos exclusivos

Escrever é difícil.

A escrita é uma das atividades criativas mais simples e baratas que existem. Em última instância, você só precisa de papel e caneta. É uma atividade simples, mas não é fácil.

Vou repetir: escrever é difícil e nunca ficará fácil.

A gente não percebe, mas boa parte do que fazemos não exige originalidade. Passamos a maior parte do dia, seja no trabalho ou em nossa vida pessoal, realizando atividades que não variam. Imagine se comer, dirigir, escovar os dentes, alimentar uma planilha ou responder um e-mail exigisse de nós sempre um aprendizado inédito. Os processos bem definidos e com os quais temos grande afinidade tornam nossa vida mais simples. Realizamos a maior parte das nossas obrigações diárias de maneira linear. Via de regra, isso é ótimo.

A mesma lógica, no entanto, não vale para a escrita e para o trabalho criativo em geral. Escritores, artistas e todos aqueles que lidam com criação precisam virar a chave do automatismo e estimular outras áreas do cérebro.

Acredite, fazer isso não é nada fácil. Escritores estão sempre repetindo uma mesma pergunta: como seguir em frente?

Você já publicou um livro, escreveu vários contos, teve sua crônica reproduzida em um importante portal ou um ensaio elogiado por especialistas. Ainda assim, nada garante que você será capaz de repetir o feito sempre que quiser. É bem comum, inclusive, olhar para êxitos do passado e perguntar a si mesmo: como foi que consegui criar isso?

Algumas semanas de férias ou períodos dedicados à outras atividades já exigem do escritor uma dose extra de motivação e de fé nas próprias capacidades. É preciso retornar e escrever novas histórias. Haverá uma página em branco ou um cursor piscando na tela que parecem dizer: “ok, vamos fazer isso mais uma vez”.

Não importa se os seus últimos trabalhos foram bem sucedidos ou fracassaram, o poder está no ato de continuar escrevendo.

Desapegue do que já foi escrito.

A vida criativa é feita de ciclos. No final de cada projeto, não importam os resultados, voltamos ao ponto de partida.

O trabalho criativo é feito de recomeços.

O autor precisa encontrar uma rotina que funcione e que proteja sua prática diária das interferências externas e dos inevitáveis altos e baixos. Este é o momento em que assumimos um compromisso conosco: trabalharei nisso todos os dias, aconteça o que acontecer. 

Acima de tudo, é preciso gostar desse jogo para ter alguma chance de fazê-lo dar certo.

Há sempre uma nova história esperando para ser contada.

Aos escribas, companheiros de jornada, faço um convite. Voltemos a este artigo sempre que precisarmos reafirmar nosso compromisso com a escrita.

Conteúdo em vídeo